Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 

 

Gonçalo da Silva Dória

(Prefeito e Exator)

 

          Gonçalo da Silva Dória nasceu em Porto da Folha dia 16/10/1894, era filho de Manoel Gonçalves da Silva Dória e Amélia Maria da Costa Dória.

          Gonçalinho, nome por que era conhecido na região, exerceu com êxito na Exatoria local importante cargo na fiscalização e arrecadação de impostos, especialmente quando esta unidade se concentrava no povoado Ilha do Ouro, em face de passar por ali a maior parte da produção de cereais do município. Nessa época Porto da Folha se apresentava como médio produtor de arroz em Sergipe.

          A situação de sobrevivência daqueles que trabalhavam como meeiros dos médios latifundiários, era bastante dificultosa, e a maior parte destes pobres lavradores tinha que vender parte de sua produção de grãos para manter a família e continuar sua lida, assim, Gonçalinho muitas vezes, por conta própria, os isentava do pagamento de impostos, com isso foi conquistando a amizade das pessoas carentes do município.

          Através da elite menos favorecida, Gonçalinho foi indicado para concorrer ao cargo de prefeito nas eleições de outubro de 1950 , visto que o pleito foi muito confuso em Porto da Folha devido à impugnação de algumas urnas que envolvia os candidatos ao governo do Estado, mas a chapa de Gonçalinho foi confirmada vencedora em Porto da Folha, e ele assumiu a prefeitura em janeiro de 1951.

          Gonçalo da Silva Dória (Gonçalinho) faleceu precocemente aos 67 anos dia 19/11/1961 na terra natal deixando apenas uma descendente de nome Amélia.

Por haver representado a classe menos favorecida numa época dificultosa e ter feito boa gestão como prefeito dos pobres, Gonçalinho é considerado Filho Ilustre de Porto da Folha.

 

Por Joaquim Santana Neto, de acordo com informações colhidas em Porto da Folha.