Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 

 

Aroaldo Alves de Santana

(Tabelião, Prefeito e Deputado)

 

          Aroaldo Alves de Santana nasceu em Porto da Folha aos 22 de outubro de 1925, filho de Manoel Jovito de Santana e Isabel Maria de Santana.
          Antes de ingressar na vida pública foi comerciante na terra natal,  posteriormente em Propriá, onde concluiu o Curso Ginasial. A seguir, retorna ao Porto da Folha e ali instala sua própria loja de confecções, denominada Casa Alvorada. Em face do pouco êxito como lojista, notou que sua principal vocação não se achava neste ramo. Em 1951 casou-se com Maria da Glória Pereira Santana, e deste matrimônio nasceram quatro filhos.

          Através do Deputado Federal José Onias de Carvalho, conseguiu vaga de ajudante no Serviço de Saúde Pública (SESP) onde aprendeu, inclusive, a aplicar injeções.
A partir desta aproximação com o deputado, que se refletiu como ponto de partida para sua vocação principal, Aroaldo passou a ser visto como importante partidário político, sobretudo por que atuou como cabo eleitoral na vitória de Antônio Pinto de Rezende (UDN) à prefeitura de Porto da Folha.
Com a criação em 24/07/1957 da Comarca portofolhense, no governo Leandro Maciel, Aroaldo Santana foi nomeado Tabelião do Cartório local e, ao passo que se tornava conhecedor das leis, foi conquistando a simpatia dos buraqueiros.
          Diante da gloriosa fase, Aroaldo testou sua popularidade e foi bem sucedido ao se candidatar pela segunda vez ao cargo de prefeito, vencendo com folga, dia 12/03/1967, o nobre oponente da Arena I (antigo PSD) Antônio Gonçalves Dória 'Totoínho Dória'.
Aroaldo assumiu a prefeitura dia 30/03/1967. Para surpresa dos portofolhenses, foi nesta gestão que ocorreram fatos importantes de nossa história. Digamos que Porto da Folha finalmente saiu da escuridão. O nobre governador Lourival Baptista apenas atendeu com satisfação ao clamoroso apelo do baixinho Aroaldo, deixando para trás outras prioridades onde as instalações também se achavam em andamento, porém seus gestores não apoiaram a Arena 2 (antiga UDN) e ficaram na lista de espera. É importante mencionar este fato, pois naquela época não haveria de ser diferente, e Porto da Folha passou à frente de outras localidades com razão, graças à singeleza de Aroaldo Santana.
Na inauguração da luz em 20 de agosto de 1967, o governador Lourival Baptista acionou uma chave geral e a população viu, pela primeira vez, a cidade completamente iluminada. Esta foi uma das grandes emoções de quem presenciou o momento.

          Em 12 de outubro de 1970 ocorreu o complemento necessário para a cidade prosseguir na trilha do progresso: a inauguração de água encanada proveniente do Rio São Francisco,  Neste mesmo ano também ocorreu a inauguração do Ginásio Gr. Lourival Baptista entre outras importantes obras da gestão Aroaldo Santana.

"Ser buraqueiro é gostar da caatinga, da relva, da mulher rendeira e das coisas boas que se relacionam com o nordeste. Ser buraqueiro é compreender o semelhante de forma generosa, é gostar da terra em que nasceu. Ser buraqueiro competente e generoso não é impossível, basta refletir a luz que envolve Aroaldo Santana".

 

          O tempo do sofrimento regido por fantasia da turma que transportava uma boa água fria, vinda lá do São Francisco ou mesmo do tanque novo, judiando os animais, porém acudindo ao povo. Houve em nossa cidade a era lata de zinco. Ah! O jovem de hoje em dia desconhece tal afinco, o embaraço da cuia d’água e ligeiro funil, da carga no espinhaço do jumento baronil, que saneou o pedaço sem jamais temer cansaço tampouco ficar febril. Não há quem possa negar o grande esforço empenhado pelos abastecedores, substitutos forçados, das bombas de hoje em dia que nos trouxe mordomia graças a seu Aroaldo.
          Quero a ele dedicar este elogio rimado, por quem nos traz a lembrança do sofrimento passado, por quem assistiu de perto o fim do drama malvado. Chegada água encanada! Adeus cacimba e cisterna; acabou-se o sofrimento do burro jumento ou égua. Aroaldo há de ficar na lembrança permanente de quem ama esta cidade de maneira transparente. Afinal foi na gestão deste grande assistente que pude ver a torneira jorrando pra muita gente. Em reconhecimento ao gigante desempenho; Sergipe o elegeu Deputado Estadual nas eleições de 1985 para a gestão de 1986 a 1989.

 

(Joaquim Santana Neto em 17/03/2012)