Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 

[

 

Antônio Pereira de Souza

(Farmacêutico e Enfermeiro)

 

 

          Antônio Pereira de Souza, nasceu em Porto da Folha aos 29/07/1920, filho de José Miguel de Souza e dona Ana Rita Pereira de Souza.

          Os habitantes de Porto da Folha devem sempre lembrar que neste convívio existiu a excelente pessoa de Antônio Pereira de Souza, popularmente conhecido por Antônio Pereira, farmacêutico de brilhante atuação na sede e municípios.

          Numa época não tão distante, a cidade passou por fase muito crítica com relação à presença de médicos na região, mas como Deus não desampara ninguém, concedeu a Antônio Pereira o dom de saber cuidar dos enfermos. Para enaltecer ainda mais sua competência e ajudar a manter cordialidade idêntica a de um profissional médico, concluiu o curso auxiliar técnico em enfermagem e o curso técnico em farmácia. Assim o atendimento em sua farmácia no comércio foi aos poucos conquistando a simpatia da população. Daí em diante, Antônio Pereira passou a assumir um papel muito importante na comunidade, onde muitas vezes foi obrigado a atuar como médico, pois não havia outro recurso.

          Centenas de vidas foram salvas por ele, que nunca se recusava a prestar socorro a quem necessitasse, muitas vezes atendia a domicílio. Na maioria dos casos as consultas eram gratuitas e bem sucedidas.  Assim Antônio Pereira findou conquistando a admiração total dos buraqueiros, sobretudo por sua disposição e generosidade. Enfrentou em determinas ocasiões a escuridão da noite nas viagens fazia pelo interior, buscando sempre atender da melhor forma possível; naquela época o transporte era dificultoso, não havia ambulância disponível e o hospital (SESP) quando entrava em atividade funcionava precariamente.

Antônio Pereira de Souza faleceu aos 81 anos dia 23/08/2001 na capital, e seu sepultamento se deu na cidade de Porto da Folha.

          Em homenagem ao brilhantismo do benevolente conterrâneo, a comunidade portofolhense o qualifica como Filho Ilustre desta terra.