Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Palácio Olímpio Campos

(antigo palácio do governo de Sergipe)

ILUSTRES

 

 

Ademário Rodrigues do Nascimento

(Tenente-Coronel da PM/SE)

          

          Ademário Rodrigues do Nascimento nasceu dia 26/09/1932 na cidade de Porto da Folha, filho de Domingos Manoel do Nascimento e D. Jurandir do Nascimento.

          Aos 18 anos de idade viajou para São Paulo em busca de emprego, mas não se adaptou ao modo paulistano de sobrevivência; retornou à Sergipe onde ingressou na Polícia Militar. Pouco depois Ademário foi reconhecido pelos conterrâneos como sendo homem benevolente e muito prestativo. Quando alguém de Porto da Folha precisava de ajuda para resolver algum problema na capital contava sempre com ele, que não se recusava em ajudar no momento de necessidade. Ademário sempre esteve à disposição dos conterrâneos a qualquer hora do dia ou da noite, por este valioso comportamento, também foi visto pelos colegas de farda como homem de grande caráter. Sua pontualidade e disciplina fizeram com que fosse também estimado por seus superiores, a ponto de casar-se mais adiante com a filha de um oficial, cujo matrimônio, com dona Enildes Rodrigues, aconteceu na cidade de Propriá. Do enlace nasceram três filhos, Adelmo, Adenildo e Edimara Rodrigues do Nascimento.

          Na capital sergipana Ademário passou a maior parte de sua vida cumprindo obrigações na PM/SE, tendo na carreira militar plausível reconhecimento ao alcançar, por mérito, o posto de Tenente Coronel, e assumir em 1982 o cargo de subchefe do Gabinete Militar do Estado.

          Ali no Palácio Olímpio Campos passou a maior parte de sua estadia na corporação, desempenhando com dignidade sua função na segurança de vários governadores. Através da conduta exemplar, Ademário conquistou o apreço de pessoas importantes, como o governador José Rollemberg Leite, Lourival Baptista, Augusto Franco e outros.

          Causa da morte: Segundo constatação, praticou suicídio no dia 17/11/1983 com um tiro na cabeça em sua residência minutos antes de seguir para o posto de trabalho no Palácio do Governo. A suposição que mais se ajusta ao fato é que estava sofrendo muito com uma doença incurável e o ambiente de trabalho nos últimos dias não estava de acordo com seu merecimento.       

          Meio à fase de tristeza dos familiares, colegas de farda e conterrâneos, consternados, sobretudo por não compreenderem o real motivo da infeliz decisão dele abreviar a própria vida, o Palácio do Governo divulgou em 18/11 a seguinte nota:

 

GOVERNO DE SERGIPE

GABINETE DO GOVERNADOR

O Governo do Estado de Sergipe, com pesar, comunica o falecimento do Tenente Coronel Ademário Rodrigues do Nascimento, subchefe do Gabinete Militar, e convida para o seu sepultamento hoje às 9:00h no cemitério São Benedito. Saindo o féretro de sua residência à Rua Ribeirópolis 583.

          Ademário foi sepultado em Aracaju com honras militares. Posteriormente, em sua homenagem, seu nome foi dado a uma Rua no bairro de São Conrado na cidade de Aracaju/SE: Rua Capitão Ademário Rodrigues do Nascimento, CEP 49.042-070.

          Apesar do lamentável fato, a maior parte dos habitantes de Porto da Folha o tem como filho ilustre desta terra.